*MD_foto.jpg

Ao longo dos anos o conceito de multideficiência tem apresentado várias alterações, as quais correspondem a diferentes pontos de vista. Ou seja, podemos constatar pela revisão da literatura nacional e internacional que a definição do conceito de "multideficiência" não é consensual, variando consoante o autor e o país. O que une as várias definições é o facto de referirem que as pessoas com multideficiência manifestam acentuadas limitações a vários níveis, têm necessidades muito específicas e requerem apoio permanente. O termo surdocegueira não está incluído nesta definição.

Apenas algumas das definições sublinham o comprometimento ao nível da cognição e da comunicação, como a seguir passamos a apresentar.
  • Implica um conjunto de duas ou mais incapacidades ou diminuições de ordem física, psíquica ou sensorial (Contreras & Valencia,1997).

  • "[a multideficiência] é mais do que a mera combinação ou associação de deficiências, constituindo um grupo muito heterogéneo entre si, apesar de apresentarem características específicas/particulares” (Nunes, 2001).

  • Não se trata de um somatório de acentuadas limitações, dado que a interacção estabelecida entre as diversas limitações influenciam o desenvolvimento da criança, assim como o modo como funciona nos diferentes ambientes e a forma como aprende, exigindo um ensino especializado. Estas crianças apresentam necessidades de aprendizagem singulares e excepcionais. É mais do que a simples combinação de duas ou mais limitações (Nunes, 2001).

  • "indivíduos que apresentam necessidades educativas especiais de carácter prolongado com acentuadas limitações no funcionamento cognitivo, associados a limitações noutros domínios, nomeadamente no domínio motor e/ ou sensorial (visual e auditivo), com reflexos no desenvolvimento e aprendizagem” (Crianças/Jovens com Multideficiência. (2007, Julho).

  • As crianças com multideficiência constituem um grupo heterogéneo, apresentando dificuldades muito específicas resultantes da conjugação de limitações nas funções e estruturas do corpo e de factores ambientais que condicionam o seu desenvolvimento e funcionamento. Essas limitações dificultam o acesso ao mundo, reduzindo significativamente a procura de informação e afectando as capacidades de aprendizagem e de solução de problemas.” (Amaral & Nunes, 2008, pp-4-9).

  • People with severe disabilities are those who traditionally have been labelled as having severe to profound cognitive impairments or mental retardation. Although, there is growing understanding that any and all disabilities may affect individuals along a scale of minimal or mild to severe. It is possible to have a mild learning disability or a severe one; mild or severe autism, without a clearcut diagnosis of intellectual disability. The greater the severity or impact on an individual, there is a greater likelihood for increased need for supports. Often, individuals with a severe disability require ongoing, extensive support in more than one major life activity in order to enjoy the quality of life available to people with fewer or no disabilities and to participate in integrated community settings. They may also have additional significant disabilities, including movement difficulties, sensory losses, and/or behavior problems.” (Retirado de www.nichcy.org).

  • “Children with multiple disabilities will have a combination of various disabilities that may include: speech, physical mobility, learning, mental retardation, visual, hearing, brain injury and possibly others. Along with multiple disabilities, they can also exhibit sensory losses and behavior and or social problems. Children with multiple disabilities - also referred to as multiple exceptionalities will vary in severity and characteristics. These students may exhibit weakness in auditory processing and have speech limitations. Physical mobility will often be an area of need. These students may have difficulty attaining and remembering skills and or transferring these skills from one situation to another. Support is usually needed beyond the confines of the classroom. There are often medical implications with some of the more severe multiple disabilities which could include students with cerebral palsy and severe autism and brain injuries. There are many educational implications for these students.” (Retirado de www.specialed.about.com).

  • “People with severe disabilities are those who traditionally have been labelled as having severe to profound mental retardation. These people require ongoing, extensive support in more than one major life activity in order to participate in integrated community settings and enjoy the quality of life available to people with fewer or no disabilities. They frequently have additional disabilities, including movement difficulties, sensory losses, and behavior problems. (Retirado de www.peppinc.org).

  • “The term does not include deaf blindness. (…) For a child to be identified as having multiple disabilities (MD) he/she must exhibit two (2) or more disabilities. Referral should be based on the observation of a combination of the characteristics outlined in the eligibility criteria section of this document.” (Retirado de www.arksped.k12.ar.us)

Síntese

Para efeitos deste documento iremos assumir a designação de Amaral et al. (2004), os quais indicam que as crianças/jovens com multideficiência
apresentam limitações no domínio cognitivo, associadas a limitações acentuadas no domínio motor e/ou no domínio sensorial (visão ou audição), e podem ainda necessitar de cuidados de saúde específicos. Estas limitações impedem a interacção natural com o ambiente, colocando em grave risco o acesso ao desenvolvimento e à aprendizagem.


Dados empíricos

Procurámos perceber quais os conhecimentos que os docentes que se encontram nas escolas do ensino regular têm em termos destes alunos, nomeadamente o que entendem por multideficiência. Para tal efectuámos uma pequena sondagem cujo relatório final pode ser encontrado clicando em..


Autor: Maria João Pinho da Cruz e Clarisse Nunes



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Amaral, I. (2002). Characteristics of Communicative Interactions Between Children with Multiple Disabilities and their Non-Trained Teachers: effects of an intervention process. Tese de doutoramento, não publicada. Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade do Porto. Porto.

Amaral, I. & Nunes,C. ( 2008), Educação, Multideficiência e Ensino Regular: um Processo de Mudança de Atitude. Diversidades, pp. 4-9). http://www.madeira-edu.pt/Portals/7/pdf/revista_diversidades/revistadiversidades_20.pdf
Nunes, C. (2001), Aprendizagem Activa na Criança com Multideficiência – Guia para Educadores. Lisboa: Ministério da Educação. Departamento de Educação Básica. http://www.dgidc.min-edu.pt/fichdown/ensinoespecial/livrocompletomultidef.pdf

Nunes, C. (2008). Alunos com multideficiência e com surdocegueira congénita. Organização da resposta educativa. Lisboa: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular. Direcção de Serviços da Educação Especial e do Apoio Sócio – Educativo. http://sitio.dgidc.min-edu.pt/recursos/Lists/Repositrio%20Recursos2/Attachments/770/multideficiencia.pdf


Crianças/Jovens com Multideficiência. (2007, Julho). Multideficiência Newsletter, n.º 1. Instituto Politécnico de Lisboa: Escola Superior de Educação de Lisboa).